terça-feira, 12 de julho de 2011

NAVE - da série Ela

ESSE ABALO QUE ME DESCONCENTRA;
É UM APAGAR DE LUZES;
UM PAVOR ACESO;
EXPERIMENTO, AGORA, A SENSAÇÃO DO LAÇO;
A VERTIGEM DA REDE;
QUERIA ME DESENROSCAR
DEPOIS, DEITAR, NO CAIS, COM O ROSTO PRAS NUVENS;
MANIFESTAR, EM VERSOS, ESSA INQUIETUDE QUE PERTURBA AS SUPERFÍCIES;
TRAGO NO PULSO A POTÊNCIA DAS TOURADAS,
NOS DEDOS, UMA VALSA;
NO PEITO, O ANÚNCIO DE UMA REVOADA, PRONTA PRA LIBERDADE;
ESSE AVISO ENCHE O CÉU DE ESTRELAS;
ROUBA A INSPIRAÇÃO DOS OLHOS;
TODA A GRAÇA DAS MINHAS IDEIAS;
COM A VISÃO AINDA TURVA DESSE ÉDEN CONCENTRADO
SINTO A COBIÇA DO ENCONTRO ENTRE A FÍSICA E O MEU DESEJO;
A MEMÓRIA QUASE LÚCIDA DESSA MINHA CONDIÇÃO
ME ESQUECE;
SOU UM PEIXE NO VÔO,
O MERGULHO DA AVE
OS OUVIDOS, NA HORA DA LARGADA,
SOU, NESTE ESPAÇO,
UM PENSAMENTO DISTANTE,
UMA CARA BOBA VIVENDO NO ALÉM,
UMA FORÇA ABDUZIDA

quinta-feira, 26 de maio de 2011

ESTILOS - Uma humilde homenagem a Gilberto Mendonça Teles

NÃO QUERO PROSA, NEM POESIA;

MAS A GRAVIDEZ DO VERBO;

O PARTO NORMAL;

A CENTELHA DO PRIMEIRO SOPRO;

NA NUDEZ DA FRASE, QUERO FEBRE;

E UM FRIO, NO PONTO FINAL;

CORPO PRESENTE,

OLHOS VIDRADOS,

ALMA BAILANDO;

A EXPLOSÃO DE UM SUSPIRO, NO MEIO DA FALA;

COSTURAR MEU PEITO NO TEU;

E FORMAR CONSTELAÇÃO;

SE TEUS OUVIDOS CALAREM MEU PRANTO;

SE TUA MENTE MATERIALIZAR MEU RISO;

SE TUA PELE SENTIR ESSE CORTE;

SE ESSA LUZ TE FIZER BRILHAR;

ENTÃO, HEI DE NÃO QUERER MAIS NADA;

NEM MÉTRICA, NEM RÓTULO,

NEM VERSO, NEM RIMA;

PORQUE AÍ, MEU BEM,

ESTAREMOS BEM, BEM ACIMA.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Carteiro - da série "Ela"



EU ... SÓ TIVE QUE EXISTIR, FALAR DE PABLO E

SEGUIR O TEU CHAMADO,

SIM, A POESIA É NOSSA MORADA, TESTEMUNHA;

SOMOS, JUNTOS, O ENTUSIASMO DAS SEMENTES, SOLO AFORA;

TUDO O QUE DE BOM EXISTE PARA A POSSIBILIDADE;

CONSIGO, COM A FORÇA QUE ME TOMA,

QUASE SENTIR SEU TOQUE;

O EFEITO QUE ME CAUSAS ARDE NO ABAFAR DO GRITO;

UM ESTADO DE IMOBILIZAÇÃO;

UM TREMOR QUE CALA, SUSPENSO NO AR;

UM IMPLORAR DE POROS QUE TE QUEREM TATO;

TODA A FOME CONTIDA NA LÍNGUA;

NO SUSURRO DAS ROSAS,

PRESAS NA MINHA GARGANTA;

VOU LONGE PRA TE ABRAÇAR,

ME ESPANDO, ME PERCO, ME TRANSPORTO;

REAPAREÇO NO VERMELHO DO VINHO;

PRA TE PERCORRER;

AFROUXAR TEU RISO;

BANHAR TECIDOS;

INUNDAR AS FIBRAS;

AFAGAR, SUTIL, OS MAIS ESQUECIDOS ATALHOS;

E VER ERGUER A GLÓRIA DESSE DESASSOSSEGO;

FAZER O ÁLCOOL INFLAMAR;

ESGOTAR A ÁGUA ATÉ QUE TUDO VIRE POÇA;

COMPARTILHAR FRAGILIDADE;

PARA, ENTÃO, VER CUMPRIR NOSSA PROMESSA

terça-feira, 17 de maio de 2011

MAIS VINTE E QUATRO HORAS - da série "Ela"

TENS, AGORA, O QUE HÁ DE MAIS INTEIRO EM MIM;
MINHA INTENÇÃO,
COMPLETAMENTE;
O QUE HÁ DE MAIS LEAL?
COMO POSSO DORMIR, SE ESSE HIPNOTIZAR DE OLHOS NÃO CESSA?
TALVEZ PORQUE ESSA CONDIÇÃO NÃO VENHA DE UMA IMAGEM EM TIC-TAC;

MAS DE UMA SEDUÇÃO DE IDEIAS, DE DENTRO;

TENS O PODER DE ADIVINHAR MEU RUMO;

SABER MEUS PASSOS;

ANTECIPAR MEU DESEJO;

TENS O DOM DE ME GUIAR, SEM DAR COMANDOS;

TRAZER CLARIVIDÊNCIA, NESSE ENTRELAÇAR DE LETRAS;

DE ONDE, QUIETA, AGUARDO A POESIA CHEGAR;

TORNA FÉRTIL O DESERTO;

FAZ SURGIR ÁGUA DO FOGO;

E DO FRIO A SENSAÇÃO MAIS ESPERADA;

Ë TEU O MUNDO QUE NASCE PELA MINHA FÉ;

É TEU TUDO O QUE VIBRA EM EXISTÊNCIA, A PARTIR DE MIM;

SÃO SUAS MINHAS PROMESSAS QUEBRADAS;

TODOS OS PONTOS FORA DA CURVA;

É TANTO QUE JÁ NEM ME SEI MAIS;

EM LUGAR ALGUM, QUE NÃO SEJA AÍ, NESSE LUGAR, INTEIRAMENTE CONTIGO;

SÓ POR HOJE.

quinta-feira, 31 de março de 2011

PRESENÇA - da série "Ela"

HOJE, NÃO HÁ OUTRA SAÍDA;

A NÃO SER DAR-TE TUDO O QUE EM MIM ESCORRE PRECE;

OS MAIS CERTOS PEDIDOS;

A MAIS LIMPA INTENÇÃO;

NASCESTE NO MEU MUNDO NO TEMPO EM QUE SER MULHER ERA SÓ ENSAIO;

AGORA, DAS LETRAS QUE ME ESCREVEM,

SÃO TUAS AS PALAVRAS,

TIJOLOS DA TORRE;

SOBE NELAS;

E, DEVAGAR, DEIXA QUE TE TRAGAM;

ATÉ AQUI, ACIMA DO CÉU, VIA LÁCTEA, ESPETÁCULO;

PORQUE NA ESCURIDÃO DO ESPAÇO, EU TE VEJO;

DANÇAREI, NA AREIA, SOB A LUA, EM NOME DISSO;

VOU OLHAR PRA CIMA E DECLARAR QUE MEU DESEJO REPOUSA, AO LADO DO SOM, NO FUNDO DAS CONCHAS, ETERNO;

HABITA A DISTÂNCIA ENTRE AS MONTANHAS;

MORA NA SORTE DAS ESTRELAS CADENTES;

O QUANTO TE QUERO ESTÁ NA EMOÇÃO ATRÁS DAS COXIAS , SEGUNDOS ANTES DA ENTRADA,

NA PAUSA PARA A PUXADA DAS CORTINAS;

NO CÉU RASGADO EM FOGOS, NA NOITE DE ANO NOVO;

E ESTAREI CONTIGO EM TUDO O QUE DE BELO OS TEUS OLHOS TOCAREM;

NA ARTE NATURAL DOS MAIS FELIZES ENCONTROS;

PORQUE É NO ENCANTO DO EXTRAORDINÁRIO QUE NOS REVELAMOS,

É ONDE ESTÁ O SAGRADO DAS NOSSAS CRITURAS;



sexta-feira, 18 de março de 2011

METÁFORAS - da série "Ela"

O TEMPO, DIZEM OS SÁBIOS, SÓ EXISTE NA COMPREENSÃO HUMANA;

HOJE, QUERO NADA DE COMPREENSÃO E TUDO DE HUMANO;

QUERO SÓ ESTE INSTANTE;

É O QUE HÁ, DE FATO;

VIVER, SEM FIM, ESTAS HORAS,

EM QUE, SOLITARIAMENTE, ESTOU CONTIGO;

SENTIR, PARALISADA, O UMEDECER DA PLANTA;

MATAR TUA SEDE COM SERENO;

LEVAR-TE À BOCA O ORVALHO DESSE FRIO QUE QUEIMA;

QUERO VER SUBIR BRASA DA TERRA,

COMO EM DIA DE MADRUGADA DE SOL;

QUANDO O PEITO VIBRA EM ERUPÇÃO;

QUERO TE SOLETRAR OS CICLONES DOS MEUS ABALOS;

DESPRENDER EM REDEMOINHOS AS MÃOS;

POUSAR, NO TEU COLO, TODA ESSA VENTANIA;

POSTERGAR A CHUVA E, LIGEIRA, APERTAR O PASSO,

E APERTAR O PASSO, APERTAR,

ATÉ QUE TODO O CÉU ESCUREÇA E DESABE;

INAUGURAR O TEU BATISMO;

SER SEU RITO DE PASSAGEM;

ESTREAR TEU GRITO;

E SENTADA, TE VER NASCER



quarta-feira, 16 de março de 2011

FONTE - da série "Ela"


GOSTO DE PASSAR PERFUME À NOITE,

CURTIR O QUE ESCOLHI E LEVEI;

DEPOIS, PERCO O CHEIRO NO AR;

ADORO VER A CHUVA DA JANELA;

TÔ SEMPRE COM SEDE, MAS QUEM ME CONHECE SABE QUE, QUASE NUNCA, BEBO ÁGUA; RESERVO;

MEU PIOR DEFEITO: A SEDE QUE NÃO SECA ;

MEU MELHOR EFEITO: A MORTE PELO ÚLTIMO GOLE,

A EXPOSIÇÃO ABSURDA DESSE MEU QUERER,

A BUSCA INCESSANTE DO QUE ME ERGUE,

MEU LADO GOLIAS;

GOSTO DE VÊ-LO CRESCER;

GOSTO DE VÊ-LO CAIR;

ELE LEVANTA DAVID!

HÁ, COM CERTEZA, GOZO NISSO,

NA FONTE DO MEU EXORCIZAR,

QUE FAZ CATARATA FACE, DOCE E SAL;

A QUEDA APRONTA MEU ÂNIMO;

AÍ, FICO SURDA DE TANTO PENSAR;

MINHA CABEÇA É SÓ BARULHO;

TEM SEMPRE ALGUÉM, AQUI DENTRO, DE BOTAS OU DE SALTO, PULANDO;

TEM SEMPRE UM CHEIRO, UM SINAL, UMA HISTÓRIA, UMA IDÉIA, UMA, UM;

TEM SEMPRE MOVIMENTO;

PLENITUDE? NÃO CONHEÇO;

NÃO SEI FICAR PARADA,

TAMPOUCO MORRER;

É ESSA SEDE QUE NÃO ACABA NUNCA...

SOU FEITA DO “NÃO CESSAR”;

DO INCESSANTE HÁBITO DA INSATISFAÇÃO, TALVEZ;

QUE BROTA DO SERTÃO E GERMINA CARAVANAS;

SOU DA ESPÉCIE QUE SOBREVIVE “APESAR”;

DOS LEÕES E DAS ABELHAS,

DOS LOBOS E DOS GATOS;

SOU CARIOCA DA GOTA, O LENÇOL, DE ANTES DOS MEUS PÉS,

ABAIXO DAS RANHURAS DA TERRA , QUE ACUMULA E EXPANDE,

VENCE EM CACHOEIRA;

É...SECO, NA SUPERFÍCIE, PRA DESPENCAR, DE DENTRO ;

E CAIO EM TEJO,

CORRO EM THAMES,

SONHO EM SENA,

VIAJO EM NILO;

E, QUANDO A SECA ME CARREGA EM NUVENS,

SOU TODA ENTREGA,

TODA, TODA





terça-feira, 15 de março de 2011

QUÂNTICO - da série "Ela"

QUERIA HOJE A TUA PRESENÇA, NA MINHA JANELA;

O MELHOR QUADRO QUE JÁ PINTEI!

PEDRINHAS NOS VIDROS...

UM SUSPIRO, SURPRESA, MÃO NA GARGANTA, SUSPENDO DA CAMA, CORTO O AR...

UMA SERENATA COM TEUS LÁBIOS BAILANDO PALAVRAS SEM SOM, NA PENUMBRA DA RUA...

NA AUSÊNCIA DE RUÍDOS, TE ACHO E ME ILUMINO;

SIM, DA FALTA FAZEMOS ABUNDÂNCIA;

LEMBREI DE COMO ACONTECEM MILAGRES;

NÃO PRECISO DE MAPAS,

VOCÊ SEMPRE ESTEVE AQUI,

ALI, EMBAIXO, SEM SABER,

INVISÍVEL, ATÉ HÁ CINCO;

PARADO, ACHANDO GRAÇA, DE BRAÇOS CRUZADOS, BALANÇANDO A CABEÇA, FAZENDO DO “QUE NÃO”, “QUE SIM”;

VOCÊ SEMPRE SUBIU,

VAZOU PELAS PAREDES;

VOCÊ QUE ME LEMBRA PESSOA E LÍDIA, À BEIRA DO RIO;

TOMA A MINHA MÃO;

CONVERTE A MINHA FÉ!

VOCÊ VIU MINHAS VERTIGENS,

RIU, GENEROSO, DAS INCERTEZAS QUE CRIEI;

VOCÊ PRA QUEM ESCREVO DE MADRUGADA,

QUANDO AS HORAS PREGUIÇOSAS CONTROLAM MEUS DEDOS;

SIM, É DE VOCÊ QUE ME LEMBRO, QUANDO QUERO BROTAR,

PORQUE DAS BELEZAS QUE IMAGINEI, SE ELEGEU UM DESTAQUE;

ESTÁ NAS GRAVURAS DOS OLHOS, NAS FOTOS MAIS SINCERAS,

NO FREVO DAS CORES,

NO QUE SÓ A SÉPIA SABE;

E EU, ENCARNADA, ESQUECI;

NA VIRGINDADE DO BRANCO,

GRÁVIDA DE POTENCIAL;

EM TUDO O QUE PULSA, PRO APLAUSO DO ESTOURO;

VOCÊ QUE NÃO É OSSO, NÃO É LIMITE, NÃO CABE NO ESPAÇO;

VENCE O TEMPO E ME DERRUBA;

AQUELE QUE É.

IDÉIA, TATO, CO- NE- XÃO, ESTÁ EM TUDO O QUE É BOM.













domingo, 27 de fevereiro de 2011

VIRTUOSO - da série "Ela"


A POSSIBILIDADE DA TUA EXISTÊNCIA É ALGO QUE, REALMENTE, ME COMOVE;

RENOVA A MINHA FÉ;

ACHAVA-ME EM SONHO, APENAS;

NESSA IMENSA TEIA QUÂNTICA;

ACHAVA ME SÓ;

NÃO QUE AGORA NÃO ME ACHE, DE CERTA FORMA;

MAS TENHO A COMPANHIA DA SUA MÃO QUE DESENHA;

E MESMO QUANDO, EM DELÍRIO, SUSPEITO QUE A PROFUNDIDADE DISSO TUDO MORA NA MINHA FANTASIA,

SINTO O CHEIRO DA TUA COMPANHIA NO AR,

BEM VINDO, EU TE SUSSURO, COM O TIMBRE QUE JÁ ESCUTASTE;

TENHO UMA TELA;

E, NELA, PINTAMOS JUNTOS UMA ENORME REPRESA DE BONS SENTIMENTOS, AFINIDADES;

E É TÃO SIMÉTRICO QUE EU, SINCERAMENTE, NÃO ARRISCARIA NADA POR ISSO;

NÃO ARRISCARIA UMA VOZ, UM OLHAR, NEM OUTRO PRAZER SEQUER;

NÃO ARRISCARIA PELA CURIOSIDADE PORQUE GOSTO DO GATO;

E, SE DEPENDER DE MIM, ELE SOBREVIVERÁ AO TEMPO;

COMO EU, DO JEITO QUE ME DEVA IMAGINAR;

PORQUE, AQUI, A TROCA SE ENCERRA EM REALIDADE;

É TUDO O QUE TEMOS;

QUERO-TE FARTO, NO QUE PUDERES ME DAR:

INSPIRAÇÃO;
TE DOU-ME FARTA, NO QUE POSSO OFERECER- TE DE MELHOR;

UM “CALI-CE” AO LUAR;

A CHUVA QUE MOLHOU MEU ROSTO E QUE ESCORRE NO E-MAIL,

INUNDA TEUS OLHOS, QUIÇÁ

EM TE CONTAR TUDO O QUE CONTA;

INSPIRAÇÃO;

PRETENSÃO??

ABENÇOADA SEJA!!

QUERO DAR-TE;

MAIS QUE CARNE, EM DIA DE GULA;

MAIS QUE GESTO,

MAIS DO QUE UM AFAGO, EM NOITE DE SILÊNCIO: PENSAMENTOS;

E SEMPRE E OS MAIS TERNOS, MAIS INTENSOS;

E CONSTANTEMENTE, DE-VO-TA-MEN-TE

ELEGANTEMENTE;

SUBLIME;

NESSE MUNDO DE PIXELS, O SUFICIENTE É SUFICIENTE;

E SABEMOS, NÃO PORQUE APRENDEMOS, NÃO PORQUE ACORDAMOS, NÃO PORQUE DISCUTIMOS OU PACTUAMOS,

MAS PORQUE, DE FATO,

SOMENTE E TÃO SOMENTE, ESSA HISTÓRIA QUE COMPARTILHAMOS SOMOS NÓS;

QUIMERAS OLHARES CLONADOS, PARTES INTEIRAS, PAGÃS, AGINDO CERTO, SEM INTENÇÃO.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

PALAVRA - JANEIRO 2011 - da série "Ela"



PALAVRA LEITE;

PALAVRA MEL,

QUE NUTRE, CALCIFICA, ADOÇA;

QUERO-TE;

AMO-TE;

VENERO-TE;

ADORO-TE;

VEM PRA MIM;

VEM ASSIM, PELO AR;

FEITO RAIO, EM DIA DE SOL;

ME ATIRA,

ME ROMPE;

ME SACODE;

ME ENTORTA;

PALAVRA MINHA, VEM ME CANTAR;

VEM ME DIZER PRA ONDE, VEM ME ARREBATAR;

ME LEVA, ME VELA, REVELA, ME EMPINA, ME ENCARA, ME FAZ BRILHAR;

DEPOIS, ME COBRE, ENCOMBRE, ME IMANTA;

Ó DIVINA, VEM ME NINAR;

ME PÕE NO COLO, EM UM ALTAR;

ME CALA, PALAVRA;

E AÍ VOLTA, VOLTA...

NASCE EM MIM, ENTRANHA

ANOITECE, ME TOMA PELAS MÃOS DOS DEDOS QUE SONHAM TE TOCAR,

DE LEVE, BEM LEVE, BEM FORTE, QUASE A MORTE;

DE COSTAS;

ME CEGA, ME ENGOLE,

AMOLECE MEUS OSSOS, ME ELEVA

ME FAZ VOAR!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

GRÃO - 1999


COMO POUCOS, ME SINTO MICROSCÓPICA;




COMO POUCOS, FRIO;



CALOR ... COMO POUCOS;



SINTO ASSIM, COMO QUASE NINGUÉM, A DOR DA NAVALHA;



PRESUNTO EM CUBOS, FATIAS, MINÚSCULOS PEDAÇOS DE CARNE, TALHADOS NO VIÇO DA LÂMINA;



PORQUE APENAS ALGUNS SE DEIXAM IR TÃO LONGE, TÃO FUNDO, TÃO ESTRANHAMENTE PONTUAL,



É ... VERDADE SIM, SOU ASSIM, NUM TODO, COMO POUCOS, TALVEZ;



INTRISCICAMENTE CHEGO AO PONTO DE PARTIDA, E PARTO, NASCI, NASCEU!!





RECEITA DE MULHER - JANEIRO 2011

E, QUANDO CHEGAR, TERÁ QUE SER ALGO DE BELO, DE FRESCO, DE LEVE,
TERÁ QUE SER MACIO, FIRME,
A COMIDA DO CHEIRO, NA BRISA DO VENTO,
TERÁ QUE NÃO INCOMODAR, NÃO PROVOCAR NÁUSEAS,
TERÁ QUE SER PROFUNDO E SIMPLES, CÔNCAVO, UM ABRAÇO
TEREI EU QUE FAZER O QUE, ENTÃO?
NÃO, NÃO TEREI QUE FAZER NADA!
HÁ TEMPO EM QUE NÃO HÁ O QUE FAZER, SÓ SER;
MAS SE TODOS DIZEM QUE ASSIM, QUE ACOLÁ, QUE NÃO FALE, QUE NÃO ME MOSTRE LOGO, QUE SEJA MISTÉRIO?
SE DIZEM E ENSINAM RECEITAS DO QUE SEJA, DE QUEM EU SEJA, DO QUE DIGA OU NÃO, DO QUE CABE, DO QUE É GRANDE?
MAS SE PENSO QUE TEREI QUE SER EU E SÓ ASSIM, DE FATO, AMADA?
SE A PRESSA DOS APAIXONADOS ME PEGAR?
SE EU QUISER ACELERAR?? E ME APRESENTAR E SORRIR E GOZAR??
TEREI EU QUE FICAR MUDA, QUANDO O MEU AMOR CHEGAR??

sábado, 30 de outubro de 2010

TRINTA E SETE - 30.10.10

SENHOR MEU DEUS, PRINCÍPIO DE TODAS AS COISAS, COMO SABES, HOJE, FAÇO ANOS, NESSA TERRA. SÓ TENHO MOTIVOS PARA AGRADECER A GRAÇA QUE ME DESTES DE ESTAR VIVA E DE TER RENASCIDO, HÁ POUCO, QDO DESCOBRI QUE NÃO SOFRIA DE GRAVE DOENÇA. AGRADEÇO PELOS VELHOS AMIGOS, AO MEU LADO, HÁ TANTOS ANOS. AGRADEÇO PELOS AMIGOS QUE ESTOU DESCOBRINDO; POR TODAS AS PESSOAS BELAS QUE ENCONTREI, NO MEU CAMINHO.


AGRADEÇO PELA SAÚDE FARTA, POR MEUS TALENTOS, POR TODOS OS OBSTÁCULOS QUE ME FIZERAM CRESCER E SER QUEM SOU. AGRADEÇO PELA MINHA FAMÍLIA, PELA MINHA CASA, PELO MEU TRABALHO, POR TODOS OS LUGARES QUE CONHECI. ACIMA DE TUDO, DEUS, MUITO OBRIGADA POR EU, FINALMENTE, CONSEGUIR ACREDITAR NA SUA EXISTÊNCIA E ENXERGAR A MAGIA DA TUA ARTE!! AMÉM, ALELUIA, QUE ASSIM SEJA!!



sexta-feira, 27 de agosto de 2010

SÓ O MELHOR - 2010

QUERIA, AGORA, UMA DOR DE AMOR, UMA UNHA ENCRAVADA, A MÁ LÍNGUA DE UM AMIGO.


QUERIA O CÉU NUBLADO, A LOUCURA DE UM PARENTE,

UMA CORRENTE DE FRIO, A INCOMPREENSÃO DE QUEM ME CHEFIA, UMA DECEPÇÃO.

TUDO PARECE TÃO PEQUENO E TÃO QUERIDO.

QUANTO TEMPO PASSEI CEGA AO QUE REALMENTE IMPORTAVA!

A BENÇÃO DE ENXERGAR NÃO TRAZ ALÍVIO, MAS A OPORTUNIDADE DE SABER MELHOR



.

VENDAVAL 2010

HOJE, PENSEI NO QUE IRIA ESCREVER, NESTE CANTINHO QUE É SÓ MEU. NA VERDADE, PENSEI EM ESCREVER AQUI O QUE MAIS ME AFLIGIA PARA QUE NINGUÉM MAIS LESSE. MELHOR, PARA QUE SÓ LESSE QUEM SE INTERESSASSE PELO QUE ESCREVO; PARA AQUELE QUE SAIBA CALAR.


AO DESCOBRIR O ENCANTO DO SORRISO DE TODA HORA, RESISTI À INFORMAÇÃO DE QUE A DOR MOVE OS POETAS. MAS AQUI ESTOU EU. O QUE ME MOVE A ESCREVER ESSAS LINHAS? NÃO DIREI.

NÃO É CURIOSO QUE NO MOMENTO EM QUE DESCOBRIMOS A BELEZA DA VIDA, ELA POSSA SE PERDER? TALVEZ SEJA CURIOSO MESMO, TALVEZ UMA BENÇÃO. TALVEZ UM AVISO DO TIPO: "ABRA OS OLHOS O MAIS RÁPIDO QUE PUDER"? SEJA MELHOR!!

NÃO SEI AINDA O QUE PENSAR. SEI APENAS QUE DEVO ME MANTER FIRME AO VENTO, NÃO IMPORTA QUÃO RÁPIDO ELE VENHA.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

MOMENTOS - 2009

MOMENTO É O ARGUMENTO DOS COVARDES;


A DESCOBERTA DOS SÁBIOS;

A RESPOSTA FÁCIL DOS LEVIANOS;

O MOTIVO ENCORAJADOR DOS BRAVOS QUE RUMINAM;

A ANGÚSTIA VELADA DOS BIPOLARES;

A ISCA DOS QUE SECRETAMENTE TE OBSERVAM;

A INQUIETAÇÃO DO SEGUNDO ENCONTRO;

MOMENTOS SÃO OS NÓS DAS ESQUINAS;

A RESIGNAÇÃO DA PARTIDA...

PONTOS DE EMOÇÃO INFINITA;

O PONTO DA QUEBRA;

AH, MOMENTOS SÃO MODEEEEERNOS;

NEOLOGISMO, NO DICIONÁRIO!!!!!!!!

MOMENTOS SÃO O TEMPO NECESSÁRIO PARA DECIDIR!!

CONTOS DE UMA HISTÓRIA ANTIGA;

RASURAS DO TEMPO;

ABSURDO DO GOZO;

OS LÁBIOS NA MAÇÃ, FLAGRANDO A MORDIDA;

O SILÊNCIO NA HORA DO DOCE;

MOMENTO É A JUSTIFICATIVA ESTÚPIDA DO GRITO;

A RAZÃO DA BELEZA;

O MOTIVO DO ASSALTO;

UM SONHO REENCARNADO, BEM NA SUA FRENTE;

O PESADELO QUE SE REPETE;

A SACRALIZAÇÃO DA VIDA;

MOMENTOS SÃO FANTASMAS;

FANTASIAS QUE VESTIMOS, EM FRENTE AO ESPELHO;

A LEITURA DO INTÉRPRETE;

ESQUEMAS CEREBRAIS DE ENCAIXE;

MOMENTOS DEPENDEM DAS LÍNGUAS...

SÓCRATES DISCURSA NA PRAÇA.

MOMENTOS SÃO QUEM SE APROPRIA DELES;

MOMENTO É PESSOAL E INTRANSFERÍVEL;

NÃO ABRE CONTA CONJUNTA;

UM DOCUMENTO PREENCHIDO DE PRÓPRIO PUNHO;

QUE NÃO SE ASSINA EM BRANCO.



segunda-feira, 21 de setembro de 2009

MENINOS - 2009

E, NAQUELA NOITE, EU FIQUEI ASSUSTADA;


VISLUMBREI A SILHUETA DE UM MENINO LINDO;

MENINOS SÃO REALMENTE ENCANTADORES;

MAS SÃO OS HOMENS QUE FAZEM AS MULHERES FELIZES



domingo, 30 de agosto de 2009

MONALISA - 2009



TENHO NAS MÃOS O CONJUNTO INUSITADO DA MINHA MASSA ATÔMICA;


PERCORRI, DESCALÇA, AS RUAS DO MUNDO;

ENFEITEI A ALMA COM IMAGENS, LEMBRANÇAS;

EXPERIMENTEI O PRAZER DE BEBER DA FONTE;

FRESCA, LÍMPIDA, PLENA EM SABEDORIA E ESSÊNCIA;

VI LUZES DIFERENTES;

ONZE DA NOITE, EM PLENO SOL;

QUANDO A CERTEZA BRITÂNICA DO ENTARDECER ME ABANDONOU, PERCEBI QUE O CÉU BRILHAVA, MAS ERA NOITE;

SIM, ERA!!

OU ERA DIA, EM PLENA NOITE, E EU ALI;

NA EFERVESCÊNCIA DAQUELES MOMENTOS, MEU CORPO ERA UMA ESPONJA;

LARGADINHA, NO MEIO DO OCEANO;

BOIANDO FRÍVOLA, INCHADA, INFLADA, TONTA DE ESTÍMULOS;

TENTAVA CONTER ÁGUA DO MUNDO NA MINHA MATÉRIA MIÚDA;

LIBERAR ESPAÇOS ENTRE AS FALHAS DA ESPUMA, PARA ENTÃO SER INUNDADA;

TINHA NAS MÃOS O CONJUNTO INUSITADO E CONFUSO DA MINHA MASSA ATÔMICA;

VIA NAS RUAS, MAIS QUE RUAS;

NAS PESSOAS, MAIS DO QUE ROSTOS;

E TUDO A MINHA VOLTA BORBULHAVA, NO FOGO DAS MINHAS IDÉIAS;

E EU ALI, DESCALÇA, INCHADA, TONTA, ARDENDO;

NAQUELES TEMPOS, TIREI AS ROUPAS, COLORI A PELE;

CACIQUE DA MINHA TRIBO, EM SILÊNCIO, COMANDEI EXPEDIÇÕES, MUNDO A FORA;

CINCO PAÍSES, MUITAS FRONTEIRAS;

MINHAS DIVISAS, MEUS LIMITES;

FORAM TODOS POSTOS A PROVA, EM CADA MOMENTO QUE EU TENTAVA TRADUZIR;

EM CADA SUSPIRO DE CANSAÇO EXALTADO;

EM CADA NOITE MAL DORMIDA;

EM CADA HORMÔNIO ALTERADO;

E EU ALI, DESCALÇA, INCHADA, TONTA, ARDENDO, NUA;

SEM SABER SE ERA NOITE, SE ERA DIA;

INDÍGENA, ESPONJA HUMANA;

TINHA NAS MÃOS O CONJUNTO INUSITADO E CONFUSO DA MINHA MASSA ATÔMICA;

NADA ERA DESCASO, NADA PASSAVA EM BRANCO;

CONTEMPLEI O FEIO E O BELO, COM A GENEROSIDADE DE UM ESTRANGEIRO QUE TUDO QUER PROVAR;

PORQUE SE EU QUERIA CONHECER MAIS DO MUNDO, DE VERDADE, JÁ DEVERIA SABER QUE NELE, HÁ DE TUDO, COMO AQUI;

PERCEBI QUE A INDELICADEZA DO POVO ESTRANHO É ESTRANHA AO MEU POVO, SEMPRE TÃO HOSPITALEIRO;

TÃO ESTRANHA QUE DEIXO AQUI UM SOLO DE CASTANHOLAS;

OUÇAM!!!!

EM PARIS, A GENTE FICA MAIS BONITA;

EM LISBOA, MAIS MENINA;

Ó “MININA”!!!!

NA HOLANDA, PIRADONA;

OS CANAIS DE AMSTERDÃ ME FIZERAM VER QUE A ÁGUA ME FAZ BEM ÀS VISTAS;

E QUANDO REGRESSEI À TERRA FRIA, TRAZIA NO PEITO A MEDALHA DE UMA CONQUISTA, PENSAVA...;

QUANDO, PELA ÚLTIMA VEZ, A CERTEZA BRITÂNICA DO ENTARDECER ME ABANDONOU, PERCEBI QUE O CÉU BRILHAVA, MAS ERA NOITE;

E EU DE VOLTA, SEM CERTEZAS. E A NOITE INSISTIU.

O BRILHO DO OURO, A TORRE, TUDO ESCONDIDO, NO BREU DAS MINHAS DECEPÇÕES;

AINDA TINHA NAS MÃOS O CONJUNTO INUSITADO E CONFUSO DA MINHA MASSA ATÔMICA;

COM OS TRÓPICOS AQUECIDOS PELO CALOR DA MINHA GENTE,

ENTENDI O SORRISO DA MONALISA;

QUE A TODOS CONVIDA À CORAGEM DE ENCARAR O VAZIO DO ESCURO À PROCURA DE RESPOSTAS;

MEU SORRISO DA MONALISA É UMA VIAGEM ALÉM MAR, INTERESTELAR, INTERPLANETÁRIA, INTERPESSOAL;

UM MERGULHO, UMA APRENDIZAGEM;

DESLUMBRES, CANSAÇOS, INCHAÇOS, FRAQUEZAS, PRAZERES, DESILUSÕES;

SABER;

ENTENDI PERFEITAMENTE PORQUE AQUELE SORRISO SEM DENTES, TÃO ECONÔMICO

HAVIA RENDIDO TANTA CONTEMPLAÇÃO.

E, “ULALÁ”!!!!

SORRIO COMO ELA, ASSIM, SEM MUITO ESCÂNDALO.