sexta-feira, 18 de março de 2011

METÁFORAS - da série "Ela"

O TEMPO, DIZEM OS SÁBIOS, SÓ EXISTE NA COMPREENSÃO HUMANA;

HOJE, QUERO NADA DE COMPREENSÃO E TUDO DE HUMANO;

QUERO SÓ ESTE INSTANTE;

É O QUE HÁ, DE FATO;

VIVER, SEM FIM, ESTAS HORAS,

EM QUE, SOLITARIAMENTE, ESTOU CONTIGO;

SENTIR, PARALISADA, O UMEDECER DA PLANTA;

MATAR TUA SEDE COM SERENO;

LEVAR-TE À BOCA O ORVALHO DESSE FRIO QUE QUEIMA;

QUERO VER SUBIR BRASA DA TERRA,

COMO EM DIA DE MADRUGADA DE SOL;

QUANDO O PEITO VIBRA EM ERUPÇÃO;

QUERO TE SOLETRAR OS CICLONES DOS MEUS ABALOS;

DESPRENDER EM REDEMOINHOS AS MÃOS;

POUSAR, NO TEU COLO, TODA ESSA VENTANIA;

POSTERGAR A CHUVA E, LIGEIRA, APERTAR O PASSO,

E APERTAR O PASSO, APERTAR,

ATÉ QUE TODO O CÉU ESCUREÇA E DESABE;

INAUGURAR O TEU BATISMO;

SER SEU RITO DE PASSAGEM;

ESTREAR TEU GRITO;

E SENTADA, TE VER NASCER



3 comentários:

  1. Meu primeiro contato com textos teus. Gratificante ler e perceber que sentes e dominas as letras que derramas sobre o espaço que dispões. Sigo e pretendo voltar.

    Bj.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Paulo!! Seja muito bem-vindo!! Volte sempre. É maravilhoso poder dividir meus sentimentos.

    ResponderExcluir