terça-feira, 12 de julho de 2011

NAVE - da série Ela

ESSE ABALO QUE ME DESCONCENTRA;
É UM APAGAR DE LUZES;
UM PAVOR ACESO;
EXPERIMENTO, AGORA, A SENSAÇÃO DO LAÇO;
A VERTIGEM DA REDE;
QUERIA ME DESENROSCAR
DEPOIS, DEITAR, NO CAIS, COM O ROSTO PRAS NUVENS;
MANIFESTAR, EM VERSOS, ESSA INQUIETUDE QUE PERTURBA AS SUPERFÍCIES;
TRAGO NO PULSO A POTÊNCIA DAS TOURADAS,
NOS DEDOS, UMA VALSA;
NO PEITO, O ANÚNCIO DE UMA REVOADA, PRONTA PRA LIBERDADE;
ESSE AVISO ENCHE O CÉU DE ESTRELAS;
ROUBA A INSPIRAÇÃO DOS OLHOS;
TODA A GRAÇA DAS MINHAS IDEIAS;
COM A VISÃO AINDA TURVA DESSE ÉDEN CONCENTRADO
SINTO A COBIÇA DO ENCONTRO ENTRE A FÍSICA E O MEU DESEJO;
A MEMÓRIA QUASE LÚCIDA DESSA MINHA CONDIÇÃO
ME ESQUECE;
SOU UM PEIXE NO VÔO,
O MERGULHO DA AVE
OS OUVIDOS, NA HORA DA LARGADA,
SOU, NESTE ESPAÇO,
UM PENSAMENTO DISTANTE,
UMA CARA BOBA VIVENDO NO ALÉM,
UMA FORÇA ABDUZIDA

quinta-feira, 26 de maio de 2011

ESTILOS - Uma humilde homenagem a Gilberto Mendonça Teles

NÃO QUERO PROSA, NEM POESIA;

MAS A GRAVIDEZ DO VERBO;

O PARTO NORMAL;

A CENTELHA DO PRIMEIRO SOPRO;

NA NUDEZ DA FRASE, QUERO FEBRE;

E UM FRIO, NO PONTO FINAL;

CORPO PRESENTE,

OLHOS VIDRADOS,

ALMA BAILANDO;

A EXPLOSÃO DE UM SUSPIRO, NO MEIO DA FALA;

COSTURAR MEU PEITO NO TEU;

E FORMAR CONSTELAÇÃO;

SE TEUS OUVIDOS CALAREM MEU PRANTO;

SE TUA MENTE MATERIALIZAR MEU RISO;

SE TUA PELE SENTIR ESSE CORTE;

SE ESSA LUZ TE FIZER BRILHAR;

ENTÃO, HEI DE NÃO QUERER MAIS NADA;

NEM MÉTRICA, NEM RÓTULO,

NEM VERSO, NEM RIMA;

PORQUE AÍ, MEU BEM,

ESTAREMOS BEM, BEM ACIMA.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Carteiro - da série "Ela"



EU ... SÓ TIVE QUE EXISTIR, FALAR DE PABLO E

SEGUIR O TEU CHAMADO,

SIM, A POESIA É NOSSA MORADA, TESTEMUNHA;

SOMOS, JUNTOS, O ENTUSIASMO DAS SEMENTES, SOLO AFORA;

TUDO O QUE DE BOM EXISTE PARA A POSSIBILIDADE;

CONSIGO, COM A FORÇA QUE ME TOMA,

QUASE SENTIR SEU TOQUE;

O EFEITO QUE ME CAUSAS ARDE NO ABAFAR DO GRITO;

UM ESTADO DE IMOBILIZAÇÃO;

UM TREMOR QUE CALA, SUSPENSO NO AR;

UM IMPLORAR DE POROS QUE TE QUEREM TATO;

TODA A FOME CONTIDA NA LÍNGUA;

NO SUSURRO DAS ROSAS,

PRESAS NA MINHA GARGANTA;

VOU LONGE PRA TE ABRAÇAR,

ME ESPANDO, ME PERCO, ME TRANSPORTO;

REAPAREÇO NO VERMELHO DO VINHO;

PRA TE PERCORRER;

AFROUXAR TEU RISO;

BANHAR TECIDOS;

INUNDAR AS FIBRAS;

AFAGAR, SUTIL, OS MAIS ESQUECIDOS ATALHOS;

E VER ERGUER A GLÓRIA DESSE DESASSOSSEGO;

FAZER O ÁLCOOL INFLAMAR;

ESGOTAR A ÁGUA ATÉ QUE TUDO VIRE POÇA;

COMPARTILHAR FRAGILIDADE;

PARA, ENTÃO, VER CUMPRIR NOSSA PROMESSA

terça-feira, 17 de maio de 2011

MAIS VINTE E QUATRO HORAS - da série "Ela"

TENS, AGORA, O QUE HÁ DE MAIS INTEIRO EM MIM;
MINHA INTENÇÃO,
COMPLETAMENTE;
O QUE HÁ DE MAIS LEAL?
COMO POSSO DORMIR, SE ESSE HIPNOTIZAR DE OLHOS NÃO CESSA?
TALVEZ PORQUE ESSA CONDIÇÃO NÃO VENHA DE UMA IMAGEM EM TIC-TAC;

MAS DE UMA SEDUÇÃO DE IDEIAS, DE DENTRO;

TENS O PODER DE ADIVINHAR MEU RUMO;

SABER MEUS PASSOS;

ANTECIPAR MEU DESEJO;

TENS O DOM DE ME GUIAR, SEM DAR COMANDOS;

TRAZER CLARIVIDÊNCIA, NESSE ENTRELAÇAR DE LETRAS;

DE ONDE, QUIETA, AGUARDO A POESIA CHEGAR;

TORNA FÉRTIL O DESERTO;

FAZ SURGIR ÁGUA DO FOGO;

E DO FRIO A SENSAÇÃO MAIS ESPERADA;

Ë TEU O MUNDO QUE NASCE PELA MINHA FÉ;

É TEU TUDO O QUE VIBRA EM EXISTÊNCIA, A PARTIR DE MIM;

SÃO SUAS MINHAS PROMESSAS QUEBRADAS;

TODOS OS PONTOS FORA DA CURVA;

É TANTO QUE JÁ NEM ME SEI MAIS;

EM LUGAR ALGUM, QUE NÃO SEJA AÍ, NESSE LUGAR, INTEIRAMENTE CONTIGO;

SÓ POR HOJE.

quinta-feira, 31 de março de 2011

PRESENÇA - da série "Ela"

HOJE, NÃO HÁ OUTRA SAÍDA;

A NÃO SER DAR-TE TUDO O QUE EM MIM ESCORRE PRECE;

OS MAIS CERTOS PEDIDOS;

A MAIS LIMPA INTENÇÃO;

NASCESTE NO MEU MUNDO NO TEMPO EM QUE SER MULHER ERA SÓ ENSAIO;

AGORA, DAS LETRAS QUE ME ESCREVEM,

SÃO TUAS AS PALAVRAS,

TIJOLOS DA TORRE;

SOBE NELAS;

E, DEVAGAR, DEIXA QUE TE TRAGAM;

ATÉ AQUI, ACIMA DO CÉU, VIA LÁCTEA, ESPETÁCULO;

PORQUE NA ESCURIDÃO DO ESPAÇO, EU TE VEJO;

DANÇAREI, NA AREIA, SOB A LUA, EM NOME DISSO;

VOU OLHAR PRA CIMA E DECLARAR QUE MEU DESEJO REPOUSA, AO LADO DO SOM, NO FUNDO DAS CONCHAS, ETERNO;

HABITA A DISTÂNCIA ENTRE AS MONTANHAS;

MORA NA SORTE DAS ESTRELAS CADENTES;

O QUANTO TE QUERO ESTÁ NA EMOÇÃO ATRÁS DAS COXIAS , SEGUNDOS ANTES DA ENTRADA,

NA PAUSA PARA A PUXADA DAS CORTINAS;

NO CÉU RASGADO EM FOGOS, NA NOITE DE ANO NOVO;

E ESTAREI CONTIGO EM TUDO O QUE DE BELO OS TEUS OLHOS TOCAREM;

NA ARTE NATURAL DOS MAIS FELIZES ENCONTROS;

PORQUE É NO ENCANTO DO EXTRAORDINÁRIO QUE NOS REVELAMOS,

É ONDE ESTÁ O SAGRADO DAS NOSSAS CRITURAS;



sexta-feira, 18 de março de 2011

METÁFORAS - da série "Ela"

O TEMPO, DIZEM OS SÁBIOS, SÓ EXISTE NA COMPREENSÃO HUMANA;

HOJE, QUERO NADA DE COMPREENSÃO E TUDO DE HUMANO;

QUERO SÓ ESTE INSTANTE;

É O QUE HÁ, DE FATO;

VIVER, SEM FIM, ESTAS HORAS,

EM QUE, SOLITARIAMENTE, ESTOU CONTIGO;

SENTIR, PARALISADA, O UMEDECER DA PLANTA;

MATAR TUA SEDE COM SERENO;

LEVAR-TE À BOCA O ORVALHO DESSE FRIO QUE QUEIMA;

QUERO VER SUBIR BRASA DA TERRA,

COMO EM DIA DE MADRUGADA DE SOL;

QUANDO O PEITO VIBRA EM ERUPÇÃO;

QUERO TE SOLETRAR OS CICLONES DOS MEUS ABALOS;

DESPRENDER EM REDEMOINHOS AS MÃOS;

POUSAR, NO TEU COLO, TODA ESSA VENTANIA;

POSTERGAR A CHUVA E, LIGEIRA, APERTAR O PASSO,

E APERTAR O PASSO, APERTAR,

ATÉ QUE TODO O CÉU ESCUREÇA E DESABE;

INAUGURAR O TEU BATISMO;

SER SEU RITO DE PASSAGEM;

ESTREAR TEU GRITO;

E SENTADA, TE VER NASCER



quarta-feira, 16 de março de 2011

FONTE - da série "Ela"


GOSTO DE PASSAR PERFUME À NOITE,

CURTIR O QUE ESCOLHI E LEVEI;

DEPOIS, PERCO O CHEIRO NO AR;

ADORO VER A CHUVA DA JANELA;

TÔ SEMPRE COM SEDE, MAS QUEM ME CONHECE SABE QUE, QUASE NUNCA, BEBO ÁGUA; RESERVO;

MEU PIOR DEFEITO: A SEDE QUE NÃO SECA ;

MEU MELHOR EFEITO: A MORTE PELO ÚLTIMO GOLE,

A EXPOSIÇÃO ABSURDA DESSE MEU QUERER,

A BUSCA INCESSANTE DO QUE ME ERGUE,

MEU LADO GOLIAS;

GOSTO DE VÊ-LO CRESCER;

GOSTO DE VÊ-LO CAIR;

ELE LEVANTA DAVID!

HÁ, COM CERTEZA, GOZO NISSO,

NA FONTE DO MEU EXORCIZAR,

QUE FAZ CATARATA FACE, DOCE E SAL;

A QUEDA APRONTA MEU ÂNIMO;

AÍ, FICO SURDA DE TANTO PENSAR;

MINHA CABEÇA É SÓ BARULHO;

TEM SEMPRE ALGUÉM, AQUI DENTRO, DE BOTAS OU DE SALTO, PULANDO;

TEM SEMPRE UM CHEIRO, UM SINAL, UMA HISTÓRIA, UMA IDÉIA, UMA, UM;

TEM SEMPRE MOVIMENTO;

PLENITUDE? NÃO CONHEÇO;

NÃO SEI FICAR PARADA,

TAMPOUCO MORRER;

É ESSA SEDE QUE NÃO ACABA NUNCA...

SOU FEITA DO “NÃO CESSAR”;

DO INCESSANTE HÁBITO DA INSATISFAÇÃO, TALVEZ;

QUE BROTA DO SERTÃO E GERMINA CARAVANAS;

SOU DA ESPÉCIE QUE SOBREVIVE “APESAR”;

DOS LEÕES E DAS ABELHAS,

DOS LOBOS E DOS GATOS;

SOU CARIOCA DA GOTA, O LENÇOL, DE ANTES DOS MEUS PÉS,

ABAIXO DAS RANHURAS DA TERRA , QUE ACUMULA E EXPANDE,

VENCE EM CACHOEIRA;

É...SECO, NA SUPERFÍCIE, PRA DESPENCAR, DE DENTRO ;

E CAIO EM TEJO,

CORRO EM THAMES,

SONHO EM SENA,

VIAJO EM NILO;

E, QUANDO A SECA ME CARREGA EM NUVENS,

SOU TODA ENTREGA,

TODA, TODA





terça-feira, 15 de março de 2011

QUÂNTICO - da série "Ela"

QUERIA HOJE A TUA PRESENÇA, NA MINHA JANELA;

O MELHOR QUADRO QUE JÁ PINTEI!

PEDRINHAS NOS VIDROS...

UM SUSPIRO, SURPRESA, MÃO NA GARGANTA, SUSPENDO DA CAMA, CORTO O AR...

UMA SERENATA COM TEUS LÁBIOS BAILANDO PALAVRAS SEM SOM, NA PENUMBRA DA RUA...

NA AUSÊNCIA DE RUÍDOS, TE ACHO E ME ILUMINO;

SIM, DA FALTA FAZEMOS ABUNDÂNCIA;

LEMBREI DE COMO ACONTECEM MILAGRES;

NÃO PRECISO DE MAPAS,

VOCÊ SEMPRE ESTEVE AQUI,

ALI, EMBAIXO, SEM SABER,

INVISÍVEL, ATÉ HÁ CINCO;

PARADO, ACHANDO GRAÇA, DE BRAÇOS CRUZADOS, BALANÇANDO A CABEÇA, FAZENDO DO “QUE NÃO”, “QUE SIM”;

VOCÊ SEMPRE SUBIU,

VAZOU PELAS PAREDES;

VOCÊ QUE ME LEMBRA PESSOA E LÍDIA, À BEIRA DO RIO;

TOMA A MINHA MÃO;

CONVERTE A MINHA FÉ!

VOCÊ VIU MINHAS VERTIGENS,

RIU, GENEROSO, DAS INCERTEZAS QUE CRIEI;

VOCÊ PRA QUEM ESCREVO DE MADRUGADA,

QUANDO AS HORAS PREGUIÇOSAS CONTROLAM MEUS DEDOS;

SIM, É DE VOCÊ QUE ME LEMBRO, QUANDO QUERO BROTAR,

PORQUE DAS BELEZAS QUE IMAGINEI, SE ELEGEU UM DESTAQUE;

ESTÁ NAS GRAVURAS DOS OLHOS, NAS FOTOS MAIS SINCERAS,

NO FREVO DAS CORES,

NO QUE SÓ A SÉPIA SABE;

E EU, ENCARNADA, ESQUECI;

NA VIRGINDADE DO BRANCO,

GRÁVIDA DE POTENCIAL;

EM TUDO O QUE PULSA, PRO APLAUSO DO ESTOURO;

VOCÊ QUE NÃO É OSSO, NÃO É LIMITE, NÃO CABE NO ESPAÇO;

VENCE O TEMPO E ME DERRUBA;

AQUELE QUE É.

IDÉIA, TATO, CO- NE- XÃO, ESTÁ EM TUDO O QUE É BOM.













domingo, 27 de fevereiro de 2011

VIRTUOSO - da série "Ela"


A POSSIBILIDADE DA TUA EXISTÊNCIA É ALGO QUE, REALMENTE, ME COMOVE;

RENOVA A MINHA FÉ;

ACHAVA-ME EM SONHO, APENAS;

NESSA IMENSA TEIA QUÂNTICA;

ACHAVA ME SÓ;

NÃO QUE AGORA NÃO ME ACHE, DE CERTA FORMA;

MAS TENHO A COMPANHIA DA SUA MÃO QUE DESENHA;

E MESMO QUANDO, EM DELÍRIO, SUSPEITO QUE A PROFUNDIDADE DISSO TUDO MORA NA MINHA FANTASIA,

SINTO O CHEIRO DA TUA COMPANHIA NO AR,

BEM VINDO, EU TE SUSSURO, COM O TIMBRE QUE JÁ ESCUTASTE;

TENHO UMA TELA;

E, NELA, PINTAMOS JUNTOS UMA ENORME REPRESA DE BONS SENTIMENTOS, AFINIDADES;

E É TÃO SIMÉTRICO QUE EU, SINCERAMENTE, NÃO ARRISCARIA NADA POR ISSO;

NÃO ARRISCARIA UMA VOZ, UM OLHAR, NEM OUTRO PRAZER SEQUER;

NÃO ARRISCARIA PELA CURIOSIDADE PORQUE GOSTO DO GATO;

E, SE DEPENDER DE MIM, ELE SOBREVIVERÁ AO TEMPO;

COMO EU, DO JEITO QUE ME DEVA IMAGINAR;

PORQUE, AQUI, A TROCA SE ENCERRA EM REALIDADE;

É TUDO O QUE TEMOS;

QUERO-TE FARTO, NO QUE PUDERES ME DAR:

INSPIRAÇÃO;
TE DOU-ME FARTA, NO QUE POSSO OFERECER- TE DE MELHOR;

UM “CALI-CE” AO LUAR;

A CHUVA QUE MOLHOU MEU ROSTO E QUE ESCORRE NO E-MAIL,

INUNDA TEUS OLHOS, QUIÇÁ

EM TE CONTAR TUDO O QUE CONTA;

INSPIRAÇÃO;

PRETENSÃO??

ABENÇOADA SEJA!!

QUERO DAR-TE;

MAIS QUE CARNE, EM DIA DE GULA;

MAIS QUE GESTO,

MAIS DO QUE UM AFAGO, EM NOITE DE SILÊNCIO: PENSAMENTOS;

E SEMPRE E OS MAIS TERNOS, MAIS INTENSOS;

E CONSTANTEMENTE, DE-VO-TA-MEN-TE

ELEGANTEMENTE;

SUBLIME;

NESSE MUNDO DE PIXELS, O SUFICIENTE É SUFICIENTE;

E SABEMOS, NÃO PORQUE APRENDEMOS, NÃO PORQUE ACORDAMOS, NÃO PORQUE DISCUTIMOS OU PACTUAMOS,

MAS PORQUE, DE FATO,

SOMENTE E TÃO SOMENTE, ESSA HISTÓRIA QUE COMPARTILHAMOS SOMOS NÓS;

QUIMERAS OLHARES CLONADOS, PARTES INTEIRAS, PAGÃS, AGINDO CERTO, SEM INTENÇÃO.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

PALAVRA - JANEIRO 2011 - da série "Ela"



PALAVRA LEITE;

PALAVRA MEL,

QUE NUTRE, CALCIFICA, ADOÇA;

QUERO-TE;

AMO-TE;

VENERO-TE;

ADORO-TE;

VEM PRA MIM;

VEM ASSIM, PELO AR;

FEITO RAIO, EM DIA DE SOL;

ME ATIRA,

ME ROMPE;

ME SACODE;

ME ENTORTA;

PALAVRA MINHA, VEM ME CANTAR;

VEM ME DIZER PRA ONDE, VEM ME ARREBATAR;

ME LEVA, ME VELA, REVELA, ME EMPINA, ME ENCARA, ME FAZ BRILHAR;

DEPOIS, ME COBRE, ENCOMBRE, ME IMANTA;

Ó DIVINA, VEM ME NINAR;

ME PÕE NO COLO, EM UM ALTAR;

ME CALA, PALAVRA;

E AÍ VOLTA, VOLTA...

NASCE EM MIM, ENTRANHA

ANOITECE, ME TOMA PELAS MÃOS DOS DEDOS QUE SONHAM TE TOCAR,

DE LEVE, BEM LEVE, BEM FORTE, QUASE A MORTE;

DE COSTAS;

ME CEGA, ME ENGOLE,

AMOLECE MEUS OSSOS, ME ELEVA

ME FAZ VOAR!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

GRÃO - 1999


COMO POUCOS, ME SINTO MICROSCÓPICA;




COMO POUCOS, FRIO;



CALOR ... COMO POUCOS;



SINTO ASSIM, COMO QUASE NINGUÉM, A DOR DA NAVALHA;



PRESUNTO EM CUBOS, FATIAS, MINÚSCULOS PEDAÇOS DE CARNE, TALHADOS NO VIÇO DA LÂMINA;



PORQUE APENAS ALGUNS SE DEIXAM IR TÃO LONGE, TÃO FUNDO, TÃO ESTRANHAMENTE PONTUAL,



É ... VERDADE SIM, SOU ASSIM, NUM TODO, COMO POUCOS, TALVEZ;



INTRISCICAMENTE CHEGO AO PONTO DE PARTIDA, E PARTO, NASCI, NASCEU!!





RECEITA DE MULHER - JANEIRO 2011

E, QUANDO CHEGAR, TERÁ QUE SER ALGO DE BELO, DE FRESCO, DE LEVE,
TERÁ QUE SER MACIO, FIRME,
A COMIDA DO CHEIRO, NA BRISA DO VENTO,
TERÁ QUE NÃO INCOMODAR, NÃO PROVOCAR NÁUSEAS,
TERÁ QUE SER PROFUNDO E SIMPLES, CÔNCAVO, UM ABRAÇO
TEREI EU QUE FAZER O QUE, ENTÃO?
NÃO, NÃO TEREI QUE FAZER NADA!
HÁ TEMPO EM QUE NÃO HÁ O QUE FAZER, SÓ SER;
MAS SE TODOS DIZEM QUE ASSIM, QUE ACOLÁ, QUE NÃO FALE, QUE NÃO ME MOSTRE LOGO, QUE SEJA MISTÉRIO?
SE DIZEM E ENSINAM RECEITAS DO QUE SEJA, DE QUEM EU SEJA, DO QUE DIGA OU NÃO, DO QUE CABE, DO QUE É GRANDE?
MAS SE PENSO QUE TEREI QUE SER EU E SÓ ASSIM, DE FATO, AMADA?
SE A PRESSA DOS APAIXONADOS ME PEGAR?
SE EU QUISER ACELERAR?? E ME APRESENTAR E SORRIR E GOZAR??
TEREI EU QUE FICAR MUDA, QUANDO O MEU AMOR CHEGAR??