quarta-feira, 16 de março de 2011

FONTE - da série "Ela"


GOSTO DE PASSAR PERFUME À NOITE,

CURTIR O QUE ESCOLHI E LEVEI;

DEPOIS, PERCO O CHEIRO NO AR;

ADORO VER A CHUVA DA JANELA;

TÔ SEMPRE COM SEDE, MAS QUEM ME CONHECE SABE QUE, QUASE NUNCA, BEBO ÁGUA; RESERVO;

MEU PIOR DEFEITO: A SEDE QUE NÃO SECA ;

MEU MELHOR EFEITO: A MORTE PELO ÚLTIMO GOLE,

A EXPOSIÇÃO ABSURDA DESSE MEU QUERER,

A BUSCA INCESSANTE DO QUE ME ERGUE,

MEU LADO GOLIAS;

GOSTO DE VÊ-LO CRESCER;

GOSTO DE VÊ-LO CAIR;

ELE LEVANTA DAVID!

HÁ, COM CERTEZA, GOZO NISSO,

NA FONTE DO MEU EXORCIZAR,

QUE FAZ CATARATA FACE, DOCE E SAL;

A QUEDA APRONTA MEU ÂNIMO;

AÍ, FICO SURDA DE TANTO PENSAR;

MINHA CABEÇA É SÓ BARULHO;

TEM SEMPRE ALGUÉM, AQUI DENTRO, DE BOTAS OU DE SALTO, PULANDO;

TEM SEMPRE UM CHEIRO, UM SINAL, UMA HISTÓRIA, UMA IDÉIA, UMA, UM;

TEM SEMPRE MOVIMENTO;

PLENITUDE? NÃO CONHEÇO;

NÃO SEI FICAR PARADA,

TAMPOUCO MORRER;

É ESSA SEDE QUE NÃO ACABA NUNCA...

SOU FEITA DO “NÃO CESSAR”;

DO INCESSANTE HÁBITO DA INSATISFAÇÃO, TALVEZ;

QUE BROTA DO SERTÃO E GERMINA CARAVANAS;

SOU DA ESPÉCIE QUE SOBREVIVE “APESAR”;

DOS LEÕES E DAS ABELHAS,

DOS LOBOS E DOS GATOS;

SOU CARIOCA DA GOTA, O LENÇOL, DE ANTES DOS MEUS PÉS,

ABAIXO DAS RANHURAS DA TERRA , QUE ACUMULA E EXPANDE,

VENCE EM CACHOEIRA;

É...SECO, NA SUPERFÍCIE, PRA DESPENCAR, DE DENTRO ;

E CAIO EM TEJO,

CORRO EM THAMES,

SONHO EM SENA,

VIAJO EM NILO;

E, QUANDO A SECA ME CARREGA EM NUVENS,

SOU TODA ENTREGA,

TODA, TODA





Um comentário: